Loading

"Portugal nas Europeias"

"Portugal, é um dos 28 países que compõem a União Europeia. Aderiu a 1 de Janeiro de 1986 e mais tarde, em 1999, aliou-se como membro da Zona Euro. Atualmente, é um país muito dependente da União Europeia, sendo que recebe mais do que reembolsa, em números do ano de 2017, arrecadou 3 976 milhões de euros e contribuiu com 1 375 milhões de euros. A maioria das exportações, 75%, destinam-se a outros países da UE e no que respeita às importações, a reposta é idêntica, 78% provêm de países da Comunidade Europeia.


Em suma, a adesão à União Europeia desencadeou um enorme desenvolvimento no país, fazendo com que cada português tivesse as suas condições de vida mais favoráveis, dando a oportunidade de viajar por quase todo o Continente Europeu. Permitiu aos jovens serem cada vez mais internacionais, e o estudo em universidades de qualidade estrangeiras ficou muito facilitado, como também os estágios, empregos e voluntariado. Permitiu que cada cidadão português possa receber cuidados médicos noutros países da UE, por exemplo, consultar um especialista, fazer uma operação ou seguir um tratamento para uma patologia específica.


Possibilitou que os cidadãos beneficiem de direitos específicos em matéria de acesso e utilização dos serviços de telecomunicações, da Internet e dos serviços em linha como também na proteção da privacidade e os dados pessoais dos cidadãos e da garantia que esses dados são corretamente tratados pelas empresas e pelos sítios Web. E, graças às regras da União Europeia, as tarifas que os operadores podem cobrar pela utilização do telemóvel noutro país da UE estão limitadas.


Digamos ironicamente que, a cada década que passa, somos mais Europeus que Portugueses.


Porém, só temos 21 deputados no Parlamento Europeu, menos que metade em comparação com a nossa vizinha Espanha, e parece que em Portugal e na Europa, muito tem de ser debatido e mudado e em eleições que se avizinham, propõe-se aos novos Eurodeputados, políticas de sustentabilidade, ligadas ao ambiente, aproveitamento de recursos naturais como também à redução da poluição. Propõe-se aos novos Eurodeputados, estratégias para combater à abstenção no amplo perímetro da União Europeia e combater com todas as forças o crescimento das minorias e do populismo. Propõe-se aos Eurodeputados uma sustentabilidade no progresso e desenvolvimento tecnológico.


Finalizando, propõe-se aos novos Eurodeputados, uma Europa melhor, dinâmica para as gerações vindouras e propícia aos que queiram nela crescer, viver e construir o seu futuro, não esquecendo, também, o pequeno território no sudoeste do velho continente Europeu chamado Portugal.


Emanuel Alexis"


Publicado no Jornal Correio da Feira - Edição 13 de Maio de 2019